Terça-feira, 14 de Agosto de 2007

38 anos, esteticista, São Paulo, Brasil

Meu grande sonho sempre foi viver  na Argentina…

Buenos Aires.

Mas algumas coisas acontecem  e… de repente tudo muda.

Estava em Buenos Aires quando o conheci.

Não sei bem por quem me apaixonei na ocasião…

Por ele... pela possibilidade de ficar lá... de começar de novo...

Enfim… fiquei grávida e casei.

Mas uma vida de homem casado não era para ele.

Ele é um bailarino, um sonhador…

Talvez como eu… e todo mundo.

Um dia ele me disse: “vamos embora para Lisboa”.

Não pensei muito no assunto não…

Para falar a verdade, nem tive tempo.

Depois dum mês já estava aqui:

Com uma criança nos braços… e sem a menor ideia do que o meu marido andava  a fazer…

nas tardes e noites em que não voltava  para casa ...

Na realidade, sabia que a nossa vida juntos já era.

Mas precisava de tempo para juntar forças… para ganhar coragem…

Eu tinha – tenho – consciência da minha solidão….

de que não seria – será – fácil… como nada é.

Há dias em que penso em voltar para o Brasil.

Mas o que me resta lá?

 

Nem histórias, nem raízes, nem futuro.

 

Eu deixei o meu marido… mas decidi não desistir de Lisboa.

Aluguei um quarto… não tive muito tempo para sofrer…

Tinha que trabalhar e sabia que a minha vida não era mais só minha…

Algumas coisas que fazemos… sem pensar nas consequências…

ficam para sempre.

Conhece aquela palavra… “responsabilidade”?

Que não tem absolutamente nada a ver com regras…

E sim com o acto de  se sacrificar, se  importar, de estar ligado a alguém.

Pois é… alguém dependia de mim…

De qualquer forma… um dia…

Quando eu já pensava “que o tempo de sonhar já era passado…”

Encontrei esse anjo ...

Ele não mora em Portugal.

(espero que se mude logo para Lisboa!)

Nos vemos uma vez a cada três meses.

Mas sinto a sua presença a cada segundo.

Posso até sentir… durante as noites mais escuras…

– aquelas em que  parece que não há mais esperanças nem motivos para continuar…

É isso!... Posso até sentir as mãos dele tocando o meu cabelo…

 

Nunca pensei que amar poderia significar “partilhar a solidão”.

 

Estou feliz.

Em Lisboa?…

Sim. Ou talvez na vida.

Não importa!

Tenho o meu trabalho… a minha filha um futuro promissor.

Não quero voltar.

Quero ficar aqui.

 

E esperar pelo dia em que o meu anjo vai chegar… e ficar.



publicado por Beatriz Kolvitz às 10:53
link do post | comentar | favorito
|

.Mais sobre nós

Uma estrangeira muda-se para Lisboa com o marido. Apaixona-se novamente e decide recomeçar, deixando para trás uma história já vazia de qualquer forma de comunicação. Num bar do Cais do Sodré, alguém nota a sua presença, participando da descoberta de uma cidade e de uma mulher, que poderia ser qualquer mulher de qualquer lugar. É dessas descobertas que fala a peça de teatro "Há mar em Lisboa", cujo guião está a ser desenvolvido neste blog. Participe sugerindo situações, diálogos e cenas, bem como enviando imagens de Lisboa. Ajude-nos a construir uma peça de teatro em movimento e interactiva.

Ver mais
Participe enviando um e-mail!

.pesquisar

 

.posts recentes

. 'CASTELO DE CARTAS'

. Donzel do Cavaleiro Dom Q...

. Low Cost Filmes: Primeira...

. No Parapeito da Ponte

. 40 anos, jornalista, Sant...

. 38 anos, esteticista, São...

. 52 anos, professora de ta...

. 26 anos, assistente socia...

. 35 anos, Diplomata, Bangu...

. 36 anos, estilista, Liége...

.arquivos

. Maio 2008

. Agosto 2007

.tags

. todas as tags

SAPO Blogs

.subscrever feeds